Ministry of Defense of Spain/Handout via REUTERS
Ministry of Defense of Spain/Handout via REUTERS

Forças europeias cruzam linhas do Taleban para resgates em Cabul e aumentam pressão sobre Biden

Enquanto países europeus anunciam novos esforços para resgatar pessoas presas em Cabul, presidente americano é pressionado a ampliar plano de retirada

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2021 | 11h57
Atualizado 20 de agosto de 2021 | 11h59

Forças europeias cruzaram as linhas de defesa do Taleban e entraram em Cabul numa tentativa de resgatar mais pessoas que tentam deixar o país, em um movimento que pressiona ainda mais o governo do presidente americano, Joe Biden, a aumentar os esforços para retirada de civis do país. Em meio a uma pressão cada vez maior dentro do país e com um crescente número de relatos sobre repressão dos insurgentes no acesso ao aeroporto da capital, Biden marcou um pronunciamento para o começo da tarde desta sexta.

No início desta semana, uma equipe de elite de policiais franceses entrou na Zona Verde da capital, onde cidadãos franceses e afegãos vulneráveis estavam abrigados no terreno da embaixada do país. Eles transportaram as pessoas para o aeroporto de Cabul para serem retiradas, confirmou a polícia.

Também houve relatos de paraquedistas britânicos deixando o aeroporto para resgatar cidadãos britânicos e aliados locais, embora não seja imediatamente claro se esses esforços continuaram após a tomada do Taleban. A Alemanha anunciou que enviará dois helicópteros no sábado, 21, para alcançar pessoas em áreas de difícil acesso.

Críticos do governo Biden questionam por que as numerosas forças dos EUA não seguiram o exemplo, enquanto o país mantém mais de 5 mil soldados na manutenção da segurança no aeroporto. "Neste ponto, não temos recursos para ir além do complexo do aeroporto", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, a repórteres na quinta-feira.

A Alemanha disse que intensificaria sua atuação em Cabul, enviando equipes de soldados das forças especiais com helicópteros para resgatar pessoas que estão presas e não podem chegar ao aeroporto.

Veja o mapa do Afeganistão

Dois helicópteros leves H145M devem chegar à capital afegã no sábado, disse David Helmbold, porta-voz do Ministério da Defesa da Alemanha, nesta sexta-feira. Eles ajudarão nas missões de retirada e ajudarão a "tirar as pessoas de situações perigosas o mais rápido possível", disse ele.

O porta-voz ainda mencionou que os helicópteros "muito provavelmente" transportariam as pessoas para o aeroporto, onde poderiam ser levadas para fora do país usando outros meios de transporte.

O governo alemão tem enfrentado duras críticas por não ter agido antes para retirar do país os afegãos que trabalharam com suas forças. o segundo maior continente de tropas da OTAN a servir no Afeganistão depois dos Estados Unidos. Agora, o Taleban cercou o aeroporto, atirando para dispersar a multidão e espancando alguns dos que se reuniam para tentar escapar. 

Pronunciamento de Biden

Em resposta às pressões, o presidente americano Joe Biden fará um pronunciamento ao meio-dia desta sexta-feira, 20, na Casa Branca, sobre a operação de retirada militar e de cidadãos americanos e afegãos vulneráveis, em meio ao caos no aeroporto internacional de Cabul.

O único pronunciamento público de Biden desde a tomada de Cabul pelo Taleban ocorreu na quarta-feira, em uma entrevista gravada exibida pelo canal ABC. Durante a entrevista, Biden se manteve firme em sua defesa da retirada militar dos EUA e disse que algum nível de caos era inevitável.

Antes do pronunciamento desta sexta, Biden e a vice-presidente Kamala Harris se reúnem com conselheiros de segurança nacional "para ouvir atualizações de inteligência, segurança e diplomáticas sobre a evolução da situação no Afeganistão", disse a Casa Branca em um comunicado./ W. POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.