Forças invadem hotel e número de mortos chega a 195 na Índia

Três terroristas foram mortos na invasão do Taj Mahal, o último que ainda era controlado por homens armados

Agências internacionais,

29 de novembro de 2008 | 05h20

As forças de segurança indianas tomaram, neste sábado, 29, o hotel Taj Mahal, em Mumbai, o último que ainda era controlado por homens armados. Pelo menos 195 pessoas morreram e 295 ficaram feridas durante os ataques que duraram cerca de 60 horas, segundo fontes oficiais. No Taj Mahal, homens armados ainda resistiam e durante a invasão pelo menos três homens armados que mantinham reféns foram mortos.   "Os comandos mataram três terroristas após um intenso tiroteio dentro do hotel", explicou o chefe da Guarda Nacional de Segurança, corpo que realizou as operações antiterroristas, J. K. Dutt. As forças indianas puseram fim assim ao último ataque terrorista, que durou mais de 60 horas.     Veja também: Polícia acirra cerco a hotel de Mumbai Índia jamais cauterizou as feridas de 1947 Terroristas islâmicos de Mumbai não tinham 'remorso' Atentados prejudicam relações entre Índia e Paquistão Reunião de trabalho 'salva' brasileiro de atentados Ligação da Al-Qaeda com ataques na Índia é improvável Assista ao vídeo com cenas dos ataques  Imagens de Mumbai     No entanto, Dutt esclareceu que seus agentes ainda estão revistando os 400 quartos do hotel para ver se ainda restou dentro algum terrorista ou explosivo colocado no prédio. Durante o intenso tiroteio, foi possível ver chamas saindo das janelas de alguns quartos do hotel devido a alguns focos de incêndio.       Pesqueiro encontrado    As autoridades indianas encontraram um navio abandonado a cinco milhas náuticas de Mumbai que poderia ter sido utilizado pelos terroristas para lançar seu ataque da quarta-feira, informaram diferentes meios de imprensa indiana.   Os terroristas, segundo fontes de segurança, alcançaram a costa de Mumbai em uma barca pneumática após seqüestrar o barco Kuber, lançar à água três membros da tripulação e amarrar e decapitar o quarto, Amarsinh Solanki.   Imagens divulgadas neste sábado pelas televisões indianas mostram uma foto do corpo de Solanki, amarrado com as mãos no interior do Kuber, um pesqueiro que tinha saído dias antes da localidade de Porbandar, no oeste da Índia.   Uma fonte citada pelo jornal The Indian Express assegurou que o navio foi localizado a cinco milhas náuticas de Mumbai durante uma operação aérea de reconhecimento. A fonte confirmou que pelo menos oito terroristas deixaram o Kuber embarcados em uma lancha Gemini, que utilizaram para chegar à costa de Mumbai, embora a investigação esteja ainda em andamento.   O nível de precisão dos terroristas os levou inclusive a apagar o número de série do motor da lancha e também os adesivos dos Fabricantes.   (Com The New York Times)   Texto ampliado às 7h40 para acréscimo de informações.    

Tudo o que sabemos sobre:
Índia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.