AFP PHOTO / AHMAD AL-RUBAYE
AFP PHOTO / AHMAD AL-RUBAYE

Forças iraquianas libertam povoado ao sul de Mossul; premiê diz que ofensiva avança rapidamente

Ação na cidade entra em seu quarto dia com o objetivo de expulsar os jihadistas do Estado Islâmico de seu principal reduto no Iraque

O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2016 | 14h33

JAZER, IRAQUE - As forças iraquianas libertaram nesta quinta-feira, 20, um povoado ao sul da cidade de Mossul e conseguiram cercar outro localizado na frente oriental, no marco de sua ofensiva contra os jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI).

O prefeito da comarca de Al Qayara, Saleh al Jabouri, informou que as tropas tiraram do EI o controle do povoado de Hamiya Sharqui Al Sert. Junto a este avanço na frente sul, as forças especiais iraquianas também conseguiram progredir nas áreas localizadas a leste de Mossul, onde se encontra a frente de Jazer.

As tropas cercaram a cidade de Bartala, que é bombardeada com artilharia, explicou o general Fadel Barwari em um quartel em Jazer.

Essas ofensivas coincidem com um ataque conjunto em três frentes diferentes, situadas a leste e a norte de Mossul, das forças curdas peshmergas.

A ofensiva contra Mossul entra nesta quinta-feira em seu quarto dia com o objetivo de expulsar o EI de seu principal reduto no Iraque, controlado pelos jihadistas desde junho de 2014.

Avanço. O primeiro-ministro do Iraque, Haider Abadi, disse que a ofensiva para retomar Mosul avança mais rapidamente do que o planejado.

Ministros das relações exteriores e diplomatas seniores de diversos países do Oriente Médio e arredores se encontravam em Paris para discutir como restaurar a paz e a estabilidade em Mossul após a expulsão do EI.

Abadi afirmou que todos os esforços foram feitos para criar corredores humanos para civis que deixam a segunda maior cidade do Iraque, onde cerca de 1,5 milhão de pessoas ainda vivem. "As forças estão avançando na cidade mais rapidamente do que pensamos e mais rapidamente do que programamos no nosso plano de campanha", disse. / EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
IraqueEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.