Forças israelenses invadem aldeias na Cisjordânia

Forças israelenses na Cisjordânia ampliaram nesta quarta-feira suas operações militares contra supostos militantes palestinos, invadiram aldeias, prenderam 19 suspeitos e trocaram tiros com pistoleiros. No vilarejo de Saida, no norte da Cisjordânia, soldados invadiram um aparente esconderijo da Jihad Islâmica. Na troca de tiros, um palestino e um soldado israelense morreram, informou o Exército do Estado judeu.Na operação, as forças armadas de Israel detiveram cinco palestinos, disseram oficiais. Mais 13 palestinos foram detidos em outras ações.Em Qalqiliya, soldados pararam um carro para prender dois palestinos suspeitos e os feriram quando tentavam fugir, informou o Exército. Duas bombas encontradas no carro foram detonadas de forma segura.Na cidade cisjordaniana de Ramallah, onde fica o devastado quartel-general do líder palestino Yasser Arafat, forças israelenses prenderam Moahmoud Hasib, um político do movimento Fatah.Hasib - um assistente de Marwan Barghouti, líder palestino capturado por Israel em abril último - é acusado de recrutar jovens palestinos para realizar atentados contra israelenses, e estaria envolvido em dois assassinatos, segundo fontes israelenses.Barghouti está sendo julgado em Israel, onde é acusado por 26 mortes em atentados dos quais teria participado. Barghouti não reconhece a autoridade do tribunal e alega ser um político que não participa de atos violentos.Enquanto isso, Arafat continua analisando o projeto aprovado pelo Parlamento palestino para criar o cargo de primeiro-ministro, e ainda não emitiu seu parecer sobre a matéria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.