Forças israelenses matam dois palestinos na Cisjordânia

Soldados israelenses disfarçados assassinaram dois palestinos, entre eles um militante islâmico foragido, num tiroteio na Cisjordânia nesta sexta-feira. Ainda hoje, uma fonte ligada ao governo israelense comentou que o primeiro-ministro Ariel Sharon está tentando organizar um encontro com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.O linha dura Sharon, reeleito esta semana numa arrasadora vitória sobre os partidos pacifistas, conversou com Bush por telefone sobre um encontro em Washington para discutir o plano norte-americano de criar um Estado palestino soberano e independente até 2005, disse um funcionário do gabinete de Sharon sob condição de anonimato.No entanto, segundo a fonte, a reunião não deverá ocorrer tãocedo por causa dos preparativos norte-americanos para umapossível guerra contra o Iraque. Em Jenin, no extremo norte da Cisjordânia, um jovem de 21 anos suspeito de pertencer ao Hamas escondeu-se num posto do Corpo de Bombeiros ao lado de dois homens armados à medida que forças israelenses os cercavam, informaram autoridades ligadas aos dois lados em conflito.Os bombeiros deixaram o local. Os soldados mataram o supostoativista do Hamas quando ele deixou o local atirando. O tiroteio deixou marcas de tiros nas paredes e nos caminhõesdo corpo de bombeiros. Um outro homem, um palestino de 52 anos pertencente às forças de segurança, também perdeu a vida noincidente. Segundo o Exército, outros dois suspeitos de militância foram detidos.Em Hebron, soldados israelenses puseram abaixo duas casaspertencentes a supostos militantes palestinos. Mais de 15familiares dos suspeitos ficaram desabrigados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.