Forças rebeldes tomarão capital do Haiti por "segurança"

O líder rebelde Guy Philippe disse que suas forças ocuparão a capital do Haiti, onde ocorrem tiroteios e saques, "para dar segurança ao povo". Em entrevista à Associated Press, Philippe afirmou esperar que nenhum país ofereça asilo ao presidente Jean-Bertrand Aristide, que abandonou o Haiti. Há versões, não confirmadas, de que Aristide estaria a caminho da África do Sul."Esperamos que nenhum país aceite Aristide, para que ele retorne e seja julgado aqui", disse. Enquanto Philippe falava, recebia abraços e felicitações de outros comandantes rebeldes. Hoje ele completa 36 anos. Perguntado sobre quando as forças rebeldes se dirigirão à capital, Philippe afirmou que se reunirá com outros comandantes e decidirá sobre o assunto em pouco tempo.Outros dirigentes da rebelião, entre eles membros de esquadrões da morte e ex-oficiais do Exército acusados de violações dos direitos humanos, indicaram que iniciarão a marcha até Porto Príncipe nas próximas horas. Philippe falou em sua base no porto de Cap-Haitien, no norte do país, a cerca de 150 quilômetros de Porto Príncipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.