Forças russas próximas à Ucrânia têm poder de ataque rápido, diz Otan

Comandante da organização diz que soldados podem atacar em doze horas e atingir objetivos em cinco dias

O Estado de S. Paulo,

02 de abril de 2014 | 14h33

BRUXELAS - O comandante-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) disse nesta quarta-feira, 2, que os 40 mil soldados russos estacionados próximos da Ucrânia estão preparados para atacar em doze horas e podem completar seus objetivos militares de três a cinco dias.

O presidente russo Vladimir Putin disse à chanceler alemã Angela Merkel na segunda-feira que o Kremlin estava começando a retirar os soldados das áreas fronteiriças próximas da Ucrânia.

Mas o comandante-geral da Otan, general Phillip M. Breedlove, disse em uma entrevista ao NYT que até agora apenas um batalhão, uma força de 400 a 500 soldados, está mobilizado na ártea e que a inteligência da aliança não pode dizer se realmente se retiraram.

Breedlove classificou a situação como "incrivelmente preocupante".

A tomada e anexação da região da Crimeia pela Rússia causou a mais profunda crise nas relações entre Oriente e Ocidente desde a Guerra Fria, levando os Estados Unidos e a Europa a impor restrições a Moscou. Eles disseram que vão aumenta-las caso a Rússia se movimente em direção ao leste.

Os chefes militares da Otan estão preocupados que as forças russas na fronteira da Ucrânia possam significar uma ameaça para as regiões leste e sul da Ucrânia.

"Esta é uma força muito grande, muito forte e muito capacitada", disse Breedlove em uma entrevista à agência Reuters e ao Wall Street Journal. / NYT e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.