Forças sauditas reprimem manifestações pelo país

A polícia saudita perseguiu manifestantes pelas ruas de uma cidade portuária e deteve outros em Riad, respondendo com vigor aos pedidos de um dissidente exilado para que o povo proteste contra a família real. Há informações sobre dezenas de detenções em Jeddah e Riad, mas autoridades locais recusam-se a confirmar ou negar os relatos, e dizem que um comunicado oficial será divulgado em breve. O dissidente Saad al-Fagih, líder do Movimento pela Reforma Islâmica na Arábia, exilado em Londres, pediu por meio de canais de televisão, rádio e de seu site na internet que a população promovesse manifestações simultâneas contra a monarquia, em Riad e Jeddah. Al-Fagih não foi encontrado para comentar o assunto nesta quinta-feira.No mês passado, o grupo não conseguiu promover os protestos que planejava. Em 2003, o Movimento pela Reforma Islâmica na Arábia mobilizou um grupo de apenas cem manifestantes em Riad e um número similar em Jeddah, Dammam e Hail, em parte por causa do grande número de policiais enviados para reprimir os protestos.Nesta quinta-feira, testemunhas viram pelo menos seis pessoas sendo detidas enquanto dezenas de supostos manifestantes corriam da polícia. Num determinado momento foi possível ouvir disparos na região onde os manifestantes tentavam se reunir. Não ficou imediatamente claro o que aconteceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.