Muzaffar Salman/AP
Muzaffar Salman/AP

Forças sírias matam quatro em ataque a universidade

Cerca de 1,5 mil alunos se manifestavam contra governo quando houve invasão

AE, Agência Estado

03 Maio 2012 | 10h25

BEIRUTE - Forças de segurança sírias invadiram uma universidade no noroeste do país para abafar protestos contra o governo, mataram quatro estudantes e feriram outros, nesta quinta-feira, 3, segundo ativistas e grupos de oposição.

Veja também:

linkSíria cometeu crimes de guerra antes da trégua imposta pela ONU, diz ONG

tabela ESPECIAL: Primavera Árabe

Cerca de 1,5 mil alunos realizavam uma manifestação nas dependências da Universidade Aleppo quando houve a invasão, seguida por um ataque de estudantes favoráveis ao regime do presidente Bashar Assad e armados com facas, de acordo com o relato de ativistas.

Segundo o estudante ativista Thaer al-Ahmed, os colegas entraram em pânico e tentaram fugir em meio à invasão.

"Alguns alunos correram para seus quartos para se proteger, mas foram seguidos, espancados e depois detidos", relatou Al-Ahmed. "Outros sofreram cortes e fraturas durante a fuga."

A população de Aleppo, a maior cidade e centro econômico da Síria, é amplamente favorável ao governo e tem, de modo geral, sido poupada da violência que assola outras cidades no país. Os universitários, no entanto, têm feito protestos quase diários pela queda de Assad.

A universidade já havia sido invadida antes, mas não com a violência deste último episódio, contou um estudante de direito.

As forças do governo e os dissidentes continuam se enfrentando em várias partes da Síria apesar de um frágil acordo de cessar-fogo negociado pela ONU, em vigor desde 12 de abril, e da presença de observadores da entidade. O levante popular contra o regime de Assad teve início em março do ano passado.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.