AFP
AFP

Forças sírias retomam ataques contra oposição

Ativistas disseram que tropas lançaram morteiros e fizeram disparos de metralhadora no subúrbio de Damasco

AE, Agência Estado

25 de abril de 2012 | 11h44

BEIRUTE - Ativistas disseram nesta quarta-feira, 25, que tropas sírias dispararam morteiros e fizeram disparos de metralhadora no subúrbio de Damasco que foi visitado várias vezes por observadores da ONU, o que gerou pedidos para que a missão internacional permaneça em locais com forte presença opositora para evitar ataques do regime.

Veja também:

link Annan diz que situação na Síria é 'desoladora' apesar de avanços

link Ameaças contra sírios que falaram com observadores preocupam ONU

Ativistas disseram que tropas do governo atacaram redutos da oposição, como o subúrbio de Duma, após a saída dos monitores. Eles disseram que o regime interrompeu os ataques em outras áreas onde os observadores permaneceram por períodos mais longos.

Atualmente, 13 monitores estão na Síria, mas o grupo deve subir para 100 no prazo de um mês e chegar a 300.

Nesta quarta-feira, forças do regime atacaram Duma pelo segundo dia seguido, apesar da visita dos observadores, informou o ativista Mohammed Saeed. Ele disse que forças do regime haviam feito disparos anteriores, durante e após a visita, a terceira dos monitores a Duma em três dias.

A violência persistente prejudica os esforços dos observadores para manter a trégua que foi desrespeitada assim que teve início, em 12 de abril. Apesar disso, a comunidade internacional ainda vê o plano de paz, apresentado pelo enviado especial Kofi Annan, como a última chance de evitar que o país entre numa guerra civil, em parte porque não há outras alternativas.

O objetivo da trégua é abrir caminho para conversações entre o presidente Bashar Assad e os que tentam retirá-lo do poder, mas até agora a medida teve impacto limitado sobre a violência.

Os rebeldes também mantiveram os ataques. A agência estatal de notícias Sana disse que um suicida detonou um carro cheio de explosivos perto de um posto de verificação do Exército numa estrada do noroeste do país nesta quarta-feira, matando um membro das forças de segurança e ferindo dois.

Uma bomba colocada à margem de uma via explodiu na província de Alepo, norte do país, ferindo gravemente três pessoas, disse a agência.

O enviado internacional Kofi Annan disse ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) na terça-feira que a situação na Síria é "desoladora" e expressou temores sobre os contínuos ataques do regime em cidades onde os observadores da ONU não estão presentes.

Por outro lado, ele também expressou esperança de que a rápida chegada de uma força de 300 observadores autorizada pelo Conselho de Segurança possa "mudar a dinâmica política" na Síria.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.