Tyler Hicks/NYT
Tyler Hicks/NYT

Forças ucranianas estão resistindo aos russos em ao menos três cidades, dizem especialistas

Governo britânico afirmou que Exército ucraniano conseguiu segurar o perímetro de Chernigov; analistas especializados afirmaram que algo similar ocorre em Kiev e Kharkiv, apesar do rápido avanço russo

The New York Times, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2022 | 23h10

NOVA YORK - O Ministério de Defesa britânico e analistas de segurança acreditam que as Forças Armadas da Ucrânia começaram a equilibrar o confronto com tropas invasoras russas nos arredores da cidade de Chernigov, no norte da Ucrânia, no caminho entre Belarus e Kiev. Há relatos de resistência ucraniana também em Kharkiv e nos arredores da capital. 

Em boletim divulgado na noite desta quinta-feira, o governo britânico afirmou que o Exército ucraniano conseguiu segurar o perímetro de Chernigov, depois de uma coluna de blindados russos invadir a Ucrânia a partir de Belarus.  Segundo os britânicos, isso impediu que as forças de Putin concluíssem por completo seus objetivos no primeiro dia de invasão.

Analistas especializados em segurança disseram que algo similar ocorre em Kiev e Kharkiv, apesar do rápido avanço russo. O Pentágono acredita que um dos alvos de Putin seja a capital, com o objetivo de depor o governo do presidente Volodmir Zelenski.  Ali, a luta é menos sofisticada e as tropas ucranianas, melhor treinadas. 

“As tropas russas estão tentando cercar Kiev e tomar Kharkiv”, avalia Fredrick Kagan, diretor do American Enterprise Institute. A resistência, segundo ele, no entanto, foi maior que o esperado. 

Em um relatório para clientes, a companhia especializada em defesa Janes indicou que há o registro de embocascadas para as colunas de blindados de Putin. “Temos de considerar a possibilidade de que Putin esperava uma rendição dos ucranianos, e não que eles lutassem”, disse Kagan.

Segundo o especialista, o fato de Putin não ter preparado o público russo para um longo conflito pode prejudicá-lo, caso os ucranianos de fato consigam resistir. 

No leste e no sul da Ucrânia, no entanto, as tropas russas parecem ser mais efetivas em seus ataques. A elite da infantaria russa está mobilizada em Donbas, na área controlada por rebeldes pró-Rússia, segundo George Barros, consultor do Instituto de Estudos de Guerra.

Essas tropas evitaram um conflito direto com as forças ucranianas. “Isso indica que eles podem lançar um contra-ataque contra os ucranianos pela retaguarda, caso eles resistam”, acredita Kagan. “É uma operação muito bem executada.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.