Royal Thai Navy Facebook Page / AP
Royal Thai Navy Facebook Page / AP

'Formação da caverna dificulta resgate na Tailândia'

Especialista diz que a inundação no caso da Tailândia é um agravante, pois o espeleomergulho é muito específico

Entrevista com

Leandro Maciel, coordenador da comissão de espeleoresgate da Sociedade Brasileira de Espeleologia

Lorena Lara, O Estado de S.Paulo

06 Julho 2018 | 05h00

O que dificulta o resgate em cavernas?

Justamente o ambiente cavernícola. Primeiro, porque é preciso usar luz artificial. Depois, tem a própria formação da caverna. Como no caso daquela na Tailândia e na maioria das cavernas conhecidas no Brasil, a formação é pela deposição de calcário. A rocha se dissolve quando a água fica um pouco ácida. Então a água normalmente aproveita partes mais frágeis da rocha. A força da corrente também influencia nessa formação. Isso se percebe na forma dos condutos, e acaba na formação de abismos. 

A extensão da caverna influencia no resgate?

A dificuldade, no caso das cavernas maiores, é o deslocamento. No caso de abismos, é preciso içar a vítima e isso demanda equipamento, conhecimento técnico avançado, e o resgate fica mais lento. No caso da Tailândia, a água é um agravante e o espeleomergulho é algo muito específico. São poucas pessoas no mundo que praticam o espeleomergulho. É uma situação que não permite erros. Nesse caso, as crianças nunca tiveram experiência com mergulho e há a dificuldade da água turva por causa da enxurrada. Isso tudo pode causar pânico e o pânico pode matar a pessoa. A pessoa para de pensar, não sabe o que está fazendo.

A condição física das crianças afeta as possibilidades de mergulho?

Sim. As condições física e mental após dez dias sem alimentação são um fator complicado. Com ou sem mergulho. Nessa condição, um esforço físico grande é um risco e exige atenção especial. 

A criação de uma entrada artificial é uma possibilidade viável?

Sim. A gente teve isso no Chile, quando um grupo de mineiros que foi retirado através de uma escavação. Demora muito mais e quando se tem o risco de inundação, o tempo de resposta fica cada vez mais curto. Quando a caverna é bem topografada, é possível verificar qual é a parte mais próxima do solo, ou qual parte da caverna já teve um desmoronamento antigo, onde fica mais fácil fazer algum tipo de perfuração e chegar onde a vítima está. Depende do que existe entre o solo e a caverna, depende do tipo de rocha e pode ser realmente demorado.

 

Mais conteúdo sobre:
Tailândia [Ásia]caverna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.