Ilan Rosenberg/Reuters
Ilan Rosenberg/Reuters

Forte e rara tempestade de neve cobre a paisagem no Oriente Médio; veja fotos

A neve está cobrindo partes de Síria, Líbano, Líbia, Jordânia e Israel, bloqueando estradas, interrompendo o trânsito e até a vacinação contra a covid-19 

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2021 | 17h24

BEIRUTE - Uma rara neve caiu sobre partes de Síria, Líbano, Jordânia e Israel nos últimos dois dias, encobrindo áreas que não assistiam a esse fenômeno havia anos, interrompendo o tráfego e adiando campanhas de vacinação contra a covid-19.  A região geralmente associada a desertos e invernos quentes ganhou um manto branco que mudou sua paisagem. 

Nevou pela primeira vez em anos em Marjayoun, no sul do Líbano, e em Bayda, no nordeste da Líbia. A força do vendaval cortou a eletricidade em vastas partes do Líbano, forçando muitos libaneses, já acostumados com cortes de energia, a depender de geradores por muito mais tempo. As equipes de resgate tiraram quatro motoristas de seus carros cobertos de neve, disse a Agência Nacional de Notícias.

A primeira neve neste inverno na capital síria, Damasco, não impediu que o torneio de futebol da Premier League acontecesse, já que o Army Sports Club e o Al-Karamah se enfrentaram apesar da neve que cobria o campo, informou o diário sírio Al-Watan. Nas montanhas da província síria de Sweida a neve chegava a 15 cm, de acordo com a agência oficial de notícias Sana.

As estradas em algumas províncias foram bloqueadas. Na província central de Hama, escavadeiras removeram neve para abrir estradas enquanto os veículos derrapavam no gelo, causando interrupção do tráfego. A Universidade de Damasco cancelou os exames de meio de semestre programados para quarta e quinta-feira em todas as suas filiais ao redor da Síria por causa das condições climáticas extremas. Os portos do país permaneceram abertos. 

As autoridades locais nas províncias de Sweida, Quneitra, Daraa e Tartous suspenderam as aulas nesta quinta-feira devido à tempestade e a fortes nevascas. No noroeste da Síria, controlado pela oposição, as equipes de defesa civil levantaram montes de terra ao redor dos campos de deslocados para evitar que a chuva inunde as áreas lotadas.

Quase 3 milhões de pessoas deslocadas vivem no noroeste da Síria, principalmente em tendas e abrigos temporários. Chuvas fortes no mês passado danificaram ou destruíram mais de 10 mil. 

No vizinho Líbano, o Storm Joyce atingiu o país com ventos fortes registrando entre 85 km/h e 100 km/h. A tempestade ficou ainda mais forte nesta quinta-feira. Rompendo um longo período de calor, a tempestade trouxe fortes chuvas, uma queda acentuada nas temperaturas e a maior queda de neve no Líbano este ano. A neve deve cobrir áreas de altitudes tão baixas quanto 400 metros, de acordo com o departamento meteorológico. 

Quase uma dúzia de estradas no leste e norte do Líbano foram fechadas ao tráfego por causa da neve. Um clube e restaurante à beira-mar foram submersos quando ondas de quase 4 metros de altura atingiram a costa. 

O Serviço Meteorológico de Israel previu fortes tempestades e baixas temperaturas em grande parte do país, com queda de neve em altitudes mais elevadas, incluindo em Jerusalém. Na noite de quarta-feira, a polícia israelense fechou a estrada principal entre Tel-Aviv e Jerusalém por causa da neve. Uma forte nevasca cobriu as Colinas de Golan anexadas por Israel, perto da fronteira com a Síria. 

Na Jordânia, a campanha de vacinação contra a covid-19 foi suspensa devido às severas condições climáticas. Escolas e universidades adiaram as aulas. O primeiro-ministro da Jordânia, Bishr al-Khasawneh, anunciou que esta quinta-feira seria um feriado oficial para o setor público e privado devido à tempestade de neve. 

Osama al-Tarifi, diretor do centro de operações do site Arabia Weather, disse que a neve atingiu 20 cm nas montanhas de Ajloun, no norte da Jordânia, onde a neve não parou desde a noite de terça-feira. Neve forte caiu sobre a capital, Amã, nos últimos dois dias. O vento excedeu 100 km/hora em algumas áreas da Jordânia.

Na Líbia, a neve cobriu as montanhas do nordeste do país, cobrindo florestas e estradas em algumas áreas desse país do Norte da África. Moradores da área de Jabal al-Akhdar, no extremo nordeste da Líbia, levaram seus filhos para se divertir, alguns fazendo bonecos de neve e outros iniciando lutas de bolas de neve.

"Fiquei surpreso, na verdade, com o número de famílias que vieram aqui para tirar fotos para lembrar a neve", disse Ali al-Shairi, um fotógrafo amador da cidade oriental de Bayda, conhecida na Líbia pela neve, mas ela não caiu na região havia muitos anos.

No vizinho Egito, chuvas fortes e vento forte prevaleceram na quarta-feira e na quinta-feira. Autoridades na província do Sinai do Sul, que inclui centros turísticos, cancelaram atividades turísticas, incluindo safáris e cruzeiros por causa da tempestade./AP  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.