Eurokinissi / AFP
Eurokinissi / AFP

Terremoto de 5,1 graus na Grécia afeta telecomunicações em Atenas

De acordo com informações preliminares, forte tremor foi registrado 23 km a noroeste da capital grega; não há informações sobre feridos ou grandes danos estruturais

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2019 | 10h02

ATENAS - Um terremoto de 5,1 graus na escala Richter sacudiu Atenas nesta sexta-feira, 19, causando sérios distúrbios nas linhas telefônicas e pânico entre a população. Não há, até o momento, informações de feridos ou de grandes danos estruturais.

Segundo as primeiras informações, o epicentro do terremoto foi localizado 23 km a noroeste da capital da Grécia e foi sentido até as ilhas do Peloponeso, informou o Observatório Nacional. 

O movimento das placas tectônicas afetou as linhas telefônicas e provocou cortes no fornecimento de eletricidade em vários bairros da capital grega. Os bombeiros precisaram intervir principalmente em prédios para resgatar mais de uma dúzia de pessoas presas em elevadores.

"No momento, não podemos garantir que esse foi o principal terremoto", declarou o sismólogo Gerassimos Papadopoulos para a emissora pública ERT. "Três temores de menor intensidade foram registrados logo em seguida, o que é um bom sinal", completou o especialista, que pediu que a população fique calma.

Muitos habitantes e turistas foram retirados dos edifícios e se reuniram nas ruas de Atenas. O último grande terremoto na capital grega foi registrado em 1999, com magnitude 5,9 e deixou 149 mortos, além de lembranças traumáticas entre os atenienses.

A Grécia está localizada sobre importantes falhas geológicas e os terremotos são frequentes na região. A maioria deles, no entanto, não causa vítimas. Em julho de 2017, um tremor de 6,7 graus na ilha de Kos, no Mar Egeu, deixou dois mortos e causou danos consideráveis nas construções. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.