Fortes chuvas persistem e agravam situação na China

Pelo menos 168 pessoas morreram e milhões estão desabrigadas no sul e centro do país

AE, Agência Estado

20 de junho de 2011 | 11h23

Fazendeiros transportam porcos na cidade de Lanxi, em Zhejiang.

 

 

PEQUIM - Áreas alagadas no centro e no sul da China enfrentam nesta segunda-feira, 20, mais chuvas fortes, após milhões de pessoas serem forçadas a deixar suas casas.

 

"Severas enchentes causadas por fortes chuvas irão continuar a ameaçar partes do sul da China", afirmou o ministro de Recursos Hídricos, Chen Lei. "Há uma possibilidade crescente de que as chuvas, com frequência e intensidade aumentadas, continuem a atingir regiões no sul", disse Chen, ontem, em discurso.

As chuvas persistentes que começaram na primeira semana de junho varreram as zonas central e sul da China. Chen informou que mais de dez grandes rios estavam prestes a romper barreiras.

 

O escritório nacional de meteorologia previa tempestades por mais três dias, e a temporada de tufões de verão está se aproximando. Em algumas áreas, mais de 200 milímetros de chuva caíram em pouco tempo, disse o ministro.

Mais de 1 milhão de pessoas em oito províncias, regiões e municípios deixaram suas casas, entre os dias 9 e 16, segundo o jornal Beijing News. Mais de 6 milhões de pessoas foram afetadas pelas chuvas nas províncias de Hubei e Jiangxi, enquanto 2,65 milhões foram afetadas na província costeira de Zhejiang.

 

As chuvas deixaram pelo menos 168 pessoas mortas ou desaparecidas na semana passada, afirmou o Ministério da Defesa Civil anteriormente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinachuvasdesabrigadosmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.