Fortes tremores em torno do Etna levam pânico à Sicília

Uma sucessão de tremores de magnitude 4,3 na escala Richter sacudiram, nesta terça-feira, várias localidades sicilianas próximas ao vulcão Etna, enquanto o Conselho de Segurança italiano estuda a possibilidade de declarar estado de emergência. Os sismógrafos do Instituto Nacional Italiano de Geofísica localizaram o epicentro do sismo 2 km a noroeste do povoado de Milo, a 26 km de Catânia, a segunda cidade da Sicília. O vulcão, o mais alto da Europa, estava relativamente tranqüilo ontem à noite, mas hoje voltou a lançar lava e cinzas através de uma das crateras da encosta de sua face sul, e o céu de Catânia escureceu novamente em razão da nuvem de cinzas que cobre lentamente a cidade. As autoridades do aeroporto local, que iria ser reaberto nesta tarde, prorrogaram seu fechamento até a próxima quinta-feira, 31 de outubro. Devido à emergência, o aeroporto da região de Reggio-Calábria está recebendo o tráfego aéreo dirigido a Catânia.Enquanto isso, a lava da encosta da face norte do Etna continua avançando e destruindo os pinheiros do bosque de Linguaglossa. Sua frente mais avançada, descendo de uma altura de 1.500 metros, ainda se encontra distante dos centros habitados. Em outro ponto, o da Torre do Filósofo, na encosta sul e na área de Nicolosi, continuam as erupções. O Conselho de Ministros analisa se irá declarar o estado de emergência nos territórios afetados pelas erupções do Etna e os abalos sísmicos. O ministro de Atividades Comunitárias, Rocco Buttiglione, reiterou que até agora não se registraram vítimas. Em Catânia, situada a 30 km da base do vulcão e onde foi decretada a suspensão das atividades escolares, os tremores foram sentidos com tanta intensidade que as pessoas abandonaram os escritórios e decidiram esperar na rua que os abalos cessassem. Também nas localidades de Zafferana Etnea e Giarre, os habitantes abandonaram suas casas e as aulas foram suspensas. Várias residências de Giarre sofreram danos e mais de 1.000 pessoas estão desabrigadas.Um bairro inteiro em Santa Venerina ficou inacessível e as moradias de seus habitantes foram danificadas. O terremoto também derrubou alguns telhados, sem deixar vítimas, segundo o pessoal da defesa civil. Em Acireale o terremoto também danificou e isolou casas, e várias pessoas idosas tiveram de ser internadas no hospital local, onde foram tratadas com calmantes. Os que não têm acesso a suas casas foram abrigados em hotéis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.