Jason Lee/Reuters
Jason Lee/Reuters

Fortuna familiar de Bo Xilai é de R$ 300 milhões

Cresce suspeita de que ex-líder chinês teria usado influência para enriquecimento familiar

NYT / O Estado de S.Paulo,

24 de abril de 2012 | 21h11

DALIAN, CHINA - Durante boa parte da última década, enquanto Bo Xilai trabalhava ativamente para alcançar postos mais altos dentro do Partido Comunista e até se dedicava a temas mais populistas com o fim de melhorar a vida de muitos pobres, seus parentes acumularam uma fortuna estimada em pelo menos R$ 300 milhões.

Veja também:

blog VISÃO GLOBAL: O show à parte de Bo Xilai 

link Filho mimado de ex-dirigente do PC é pivô de escândalo chinês

link Político chinês envolvido em escândalo é acusado de tortura

link Mulher de Bo Xilai teria envenenado britânico

Seu irmão mais velho possui milhões de dólares em ações de uma das maiores empresas estatais da China. Sua cunhada tem uma participação significativa numa gráfica aberta por ela e avaliada recentemente em R$ 752 milhões. Até o filho de Bo Xilai, de 24 anos, que estuda em Harvard, abriu uma empresa de tecnologia com um capital inicial de R$ 601 mil.

A queda de Bo Xilai também trouxe à tona a riqueza e o poder ocultos das famílias revolucionárias do Partido Comunista e dos filhos, mulheres e parentes dos líderes do alto escalão.

Algumas semanas antes de sua dramática queda do poder, Bo Xilai escreveu uma dedicatória elogiando a Chongqinz Water Assets Management Company (empresa gerenciadora dos recursos hídricos de Chongqing) e insistindo num apoio para suas operações. Ele afirmou que uma fundação dirigida por seu irmão mais novo, Bo Xicheng, tinha adquirido uma participação numa subsidiária da companhia. Bo Xilai fez algo similar em 2003 quando foi governador da Província de Liaoning. Disse que a província daria suporte ao Dalian Daxian, conglomerado envolvido especialmente na manufatura de produtos eletrônicos. Alguns anos antes, outra companhia controlada pelo mesmo irmão caçula estava registrada como possuidora de quase um milhão de ações na Dalian Daxian, o equivalente a R$ 2,2 milhões.

Não se sabe se Bo Xilai sabia dessas participações indiretas nas empresas, ou se o irmão se aproveitou de seus pronunciamentos. Agora, em consequência da demissão de Bo Xilai por suspeitas de corrupção e acusações de que sua mulher encomendou o assassinato de um parceiro comercial britânico, aumentam as dúvidas sobre se ele, que até recentemente era o chefe do Partido Comunista na cidade de Chongqing e membro do Politburo, usou sua enorme influência política para enriquecer e ajudar seus parentes.

Notícias na mídia estatal sugeriram a possibilidade de a família Bo Xilai ter transferido ativos ilícitos para o exterior. Nenhum dos outros membros da família foi acusado de atos ilegais. Mas as circunstâncias envolvendo as ações de Bo Xilai, apoiando empresas em que membros da família tinham interesses, indicam que ele pode ter usado sua influência para ajudar parentes. Pouco se sabe sobre a mulher de Bo Xilai, Gu Kailai, exceto que abriu a própria empresa de advocacia, com escritórios em vários países, e mantém firmas de consultoria para estrangeiros.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.