Ayrton Vignola/AE
Ayrton Vignola/AE

Foto de caçadora americana ao lado de girafa negra morta causa indignação nas redes sociais

Tess Thompson Talley viajou à África do Sul em junho de 2017, mas a imagem viralizou apenas recentemente, depois que um blog local compartilhou a história no Twitter

O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 11h57

JOHANESBURGO, ÁFRICA DO SUL - Centenas de pessoas mostraram indignação nas redes sociais depois da publicação de fotos de uma americana que posa com um fuzil ao lado de uma girafa negra que havia acabado de ser caçada em um parque da África do Sul.

+ NYT: Ausência de presas protege elefantes africanos da caça ilegal

+ Blogueira famosa por ser caçadora é encontrada morta na Espanha

"Um animal pacífico e dócil que não fez nenhum dano. E o mata para quê? Por orgulho? Como prêmio? Pelos risos?", "Que peça imunda de lixo americano é esta mulher!" e "Não merece ser considerada um ser humano" são algumas das mensagens compartilhadas nos últimos dias no Twitter, dirigidas a Tess Thompson Talley, que matou o animal e mora no Kentucky.

+ Xanda, filho do leão Cecil, também é morto por caçador de troféu 

+ Para acabar com comércio ilegal, China fecha fábricas de marfim 

"Orações porque meu sonho de caça único na vida foi realizado hoje. Avistei esta girafa negra macho pouco habitual e a cacei", disse Tess ao publicar as fotos em sua conta pessoal do Facebook. "Sabia que era bom. Tinha mais de 18 anos, 4 mil libras (1.800 kg) e fui abençoada por conseguir 2 mil libras (900 kg) de sua carne", acrescentou ela.

A viagem de caça foi realizada em junho de 2017, mas as imagens da americana ao lado da girafa viralizaram recentemente, depois que o blog sul-africano Africland Post compartilhou a história no Twitter.

"Uma americana branca selvagem que é praticamente uma neandertal vem à África e dispara contra uma girafa negra muito rara, graças à cortesia da estupidez sul-africana. O seu nome é Tess Thompson Talley. Por favor, compartilhem", escreveu o Africland Post em um tuíte que já foi compartilhado mais de 45 mil vezes.

A publicação de Tess no Facebook foi apagada, mas ela se manifestou na rede social nesta quarta-feira, 4, e disse que há muito ódio circulando. "Fico feliz de ter Jesus na minha vida. Se mais pessoas tivessem fé, talvez poderíamos livrar o mundo do ódio", escreveu.

A caça esportiva, que atrai pessoas de todo o mundo para transformar animais selvagens em troféus, não é ilegal na África do Sul e oferece à economia do país uma grande quantidade de dinheiro.

Além da África do Sul, há outros países que a permitem. No Zimbábue, houve igualmente grandes polêmicas por esta prática, como em 2015, quando um dentista americano matou Cecil, o leão mais famoso do país.

A girafa, o mamífero mais alto do mundo, foi reconhecida como animal em perigo de extinção em 2016 pela União Internacional para a Conservação do Meio Ambiente (IUCN, na sigla em inglês).

Segundo os dados da IUCN, as espécies deste animal, que vive na África do Sul e Oriental, caíram de 155 mil calculados em 1985 para 97.562 em 2015. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.