Hilda Clayton, Exército dos EUA
Hilda Clayton, Exército dos EUA

Fotógrafa do Exército americano captou a própria morte

Hilda Clayton, de 22 anos, morreu em uma explosão acidental durante treinamento no Afeganistão em 2013

O Estado de S.Paulo

04 Maio 2017 | 05h00

WASHINGTON - O Exército americano divulgou a última imagem da fotógrafa de guerra Hilda Clayton, que captou a própria morte há quase quatro anos, quando uma granada de morteiro explodiu acidentalmente no Afeganistão.

A foto de Clayton foi divulgada esta semana na revista Military Review. A publicação especializada destacou que a morte de Clayton "simboliza como as mulheres do Exército estão cada vez mais expostas a situações perigosas de treinamento e combate, assim como os homens".

Clayton tinha 22 anos quando fez a fotografia em 2 de julho de 2013 durante um treinamento com munição na província afegã de Laghman.

Outros quatro soldados do Exército do Afeganistão também morreram na explosão. Um deles também era fotógrafo com o qual Clayton tinha se associado para treinar. 

Clayton, de Augusta, Georgia, pertencia à 55ª Companhia, com sede em Fort Meade, Maryland./ AP

 

Mais conteúdo sobre:
AfeganistãoWASHINGTONMaryland

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.