Fotógrafo da 'Folha' leva tiro de raspão no Egito

Joel Silva, de 47 anos, cobre os protestos contra o golpe e passa bem

O Estado de S. Paulo,

16 de agosto de 2013 | 14h07

CAIRO - O repórter-fotográfico  Joel Silva, de 47 anos, do jornal Folha de S.Paulo,  foi atingido de raspão por um disparo nesta sexta-feira, 16, no Cairo. O fotógrafo registrava os protestos na capital egípcia quando se iniciou um confronto entre partidários e opositores de Morsi. Silva foi atingido na região da cabeça, mas passa bem, segundo a Folha.

Depois de ser atingido, ele tentou retornar ao hotel de táxi, mas foi parado em uma barreira policial. Ao mostrar que estava ferido, foi levado pelos próprios militares.

Pelo menos 17 pessoas morreram hoje em novos confrontos entre partidários do presidente egípcio deposto, Mohamed Morsi, e a polícia. A Irmandade Muçulmana, grupo político do presidente, tomou as ruas na "sexta-feira do ódio" para protestar contra o massacre de ao menos 638 pessoas há dois dias, quando as forças de segurança desmobilizaram dois acampamentos de manifestantes islamistas no Cairo.

Os militares egípcios ocupam posições em pontos estratégicos do Cairo para dispersar as manifestações. Milhares de manifestantes pró-Morsi já marchavam da região nordeste do Cairo rumo ao centro cantando "abaixo o governo militar".

 "Apesar da dor e da tristeza pela perda de nossos mártires, o último crime dos golpistas aumentou a nossa determinação de acabar com eles", disse o grupo islâmico em comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.