Fotógrafo seqüestrado no Afeganistão volta à Itália

Gabriele Torsello, fotógrafo italiano convertido ao islã seqüestrado no Afeganistão em outubro, voltou à Itália neste sábado, um dia depois de ter sido libertado na beira de uma estrada afegã. Familiares e oficiais, incluindo o ministro da Defesa italiano, Arturo Parisi, saudaram Gabriele Torsello no Aeroporto Internacional de Roma. A única declaração feita por Torsello, que ficou 23 dias sob o poder dos seqüestradores, foi: "Estou bem. Obrigada Itália!". Agora, o fotógrafo vai ser levado ao centro de Roma, onde será interrogado pelas autoridades antiterroristas, e depois viaja para a região de Alessano, no sudeste do país, onde vai reunir-se com sua família. Torsello, de 36 anos, foi seqüestrado no dia 12 de outubro enquanto viajava de Lashkargah, capital da província de Helmand, para as proximidades de Kandahar, segundo o embaixador italiano no Afeganistão, Ettore Francesco Sequi. Os seqüestradores de Torsello exigiam a retirada das tropas italianas do Afeganistão e a libertação de Abdul Rahman, afegão condenado à pena de morte por ter se convertido ao cristianismo, exilado no Itália. Sequi afirmou que nenhuma das exigências foram atendidas e os seqüestradores não receberam pagamento pelo resgate de Torsello. Segundo ele, as pressões dos líderes da comunidade local e o trabalho das autoridades afegãs contribuíram para a libertação do fotógrafo italiano. Entretanto, os jornais da Itália afirmam que o governo italiano pagou pelo resgate do fotógrafo, o que foi negado pelo Executivo do país.

Agencia Estado,

04 Novembro 2006 | 09h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.