Fotógrafo sul-coreano foi seqüestrado no Iraque

Um fotógrafo sul-coreano foi mantido refém por cerca de 15 horas, no final de semana, por uma milícia xiita no Iraque, informou o ministério das relações exteriores da Coréia do Sul. O homem, identificado como Cho Sung-soo, foi preso sábado e libertado na manhã de domingo pelo exército Majdi em Cidade Sadr, um bairro da capital iraquiana onde forças norte-americanas e rebeldes têm se enfrentado nos últimos dias.O fotógrafo foi libertado após membros da cúpula da milícia terem confirmado que o sul-coreano tinha permissão para trabalhar na região. Cho é funcionário da empresa Polaris Images, de Nova York. O governo da Coréia do Sul só tomou conhecimento do seqüestro porque o próprio fotógrafo procurou a embaixada de seu país em Bagdá para informar que havia sido detido.Em junho, Kim Sun-il, sul-coreano empregado pelo exército norte-americano, foi decapitado por militantes após Seul ter negado um pedido para a interrupção do envio de tropas para o Iraque. Atualmente há 30 mil soldados sul-coreanos no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.