Fotógrafos absolvidos no caso da princesa Diana

Três fotógrafos que perseguiam a princesa Diana e Dodi Fayed no dia em que morreram, e fotografaram inclusive a cena do acidente, foram absolvidos, hoje, da acusação de invasão de privacidade.Os três homens, cujas fotos foram confiscadas e não publicadas, estavam entre os vários profissionais que seguiram Diana e o namorado através de Paris em 31 de agosto de 1997, até que o carro da princesa espatifou-se contra um pilar de um túnel.Jacques Langevin, da Sygma/Corbis nessa época; Christian Martinez, da agência Angeli; e o free-lancer Fabrice Chassery estavam arriscados a serem condenados a um ano de prisão e multas de até ? 45.000 (R$161.550,00).Os fotógrafos afirmaram que não invadiram a privacidade do casal, embora Chassery e Langevin admitissem que tiraram fotos da cena de dentro do carro através de uma porta aberta. A lei francesa diz que o interior de um carro é espaço privado.Os fotógrafos estavam sendo julgados apenas pelas fotos de Dodi Fayed. As fotos em questão o mostravam quando saia do hotel com Diana e depois da batida. O processo foi movido pelo pai de Dodi, Mohammed Al Fayed. Os parentes de Diana ou a família real não eram queixosos neste caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.