Evan Vucci / AP
Evan Vucci / AP

Fox News se juntará a processo da CNN contra a Casa Branca

Emissora, que geralmente é elogiada pelo presidente Trump, afirma que a revogação da credencial do repórter da concorrente levanta preocupações sobre a liberdade de imprensa

O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2018 | 14h44
Atualizado 14 Novembro 2018 | 15h16

NOVA YORK - A Fox News afirmou nesta quarta-feira, 14, que vai se juntar à concorrente CNN em sua batalha legal para restaurar o acesso do repórter Jim Acosta à Casa Branca, alegando que as credenciais de imprensa "jamais deveriam ser usadas como armas".

A Fox, que geralmente é elogiada pelo presidente americano Donald Trump, disse que a revogação da credencial do repórter da CNN levanta preocupações sobre a liberdade de imprensa.

Na terça-feira, 13, a rede CNN entrou na Justiça contra o presidente e cinco integrantes do governo americano para contestar a decisão da Casa Branca de suspender a credencial de Acosta. A suspensão ocorreu no dia 7, depois de o repórter discutir com Trump durante entrevista coletiva. 

O processo é considerado uma escalada no ambiente de tensão entre Trump e os veículos de comunicação nos EUA, que inclui discursos do presidente contra o que considera “notícias falsas” quando está em desacordo com o que foi publicado e críticas a jornalistas.

A uma Corte Federal em Washington, a CNN argumenta que a decisão de suspender a credencial de Acosta viola a 1.ª Emenda à Constituição americana, que assegura a liberdade de imprensa. A rede de TV argumenta ainda que os funcionários do gabinete de Trump e o presidente violaram também a 5.ª Emenda, que assegura o devido processo legal – por retirarem a credencial sem aviso prévio. / AFP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.