Fracassa tentativa de golpe nas Filipinas

Planos para a promoção de um golpe de Estado durante protestos de partidários do afastado líder Joseph Estrada "infelizmente" não levaram a nada, disse hoje a presidente Gloria Macapagal Arroyo."Na noite passada, haveria uma tomada de poder, mas ela fracassou", afirmou Arroyo numa entrevista coletiva marcando seus 100 dias no governo - e sua primeira grande crise. "Eu estava esperando que eles agissem, assim eu poderia esmagá-los".Arroyo, que assumiu o poder em 20 de janeiro quando Estrada se preparava para deixar o Palácio Presidencial em vista de crescentes protestos sobre denúncias de corrupção, não identificou nenhum participante do complô, que era objeto de rumores generalizados.Estrada, 64 anos, detido na quarta-feira sob suspeita de pilhar a economia quando exercia o cargo, é o primeiro presidente das Filipinas a acabar na prisão por denúncias de corrupção. Ele nega qualquer impropriedade. Estrada deve comparecer a um tribunal para ser formalmente acusado em 27 de junho.Pouco depois da prisão de Estrada, seus seguidores, a maioria de baixa renda, começaram a se concentrar junto a um monumento em homenagem à revolta do "poder do povo" de 1986 nas proximidades do quartel-general da Polícia Nacional, onde o ex-presidente está encarcerado.Blindados de deslocamento de tropas foram enviados ao Palácio Presidencial e caminhões repletos de soldados, parte de uma força-tarefa de 2.000 integrantes especialmente criada, foram mobilizados para conter distúrbios antigovernamentais, e proteger bases da polícia e do Exército.Antes do anoitecer de hoje, a multidão de partidários de Estrada em Manila cresceu para cerca de 200.000 pessoas. Elas exigem que ele seja libertado e retorne ao poder. Mas os partidários cancelaram uma passeata até o Palácio Presidencial, evitando possíveis confrontos com grupos esquerdistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.