Frade brasileiro é um dos presos na igreja de Belém

O frade franciscano Marcos Koneski, de 65anos, é o único brasileiro entre os religiosos que se encontramno convento franciscano anexo à Basílica da Natividade. Eledisse por telefone a colegas da Província Franciscana ImaculadaConceição, em São Paulo, que os religiosos estão bem. De acordo com as informações transmitidas pelo frade, que énatural de Santa Catarina, não há mulheres nem crianças nocomplexo cercado pelos tanques de Israel. O clima é de tensão no convento e na basílica e paira no aruma certa ameaça por parte dos soldados isralenses, mas não háagressões ou ofensas. Os israelenses permitiram a saída dos religiosos que quisessemdeixar as instalações e quatro que se sentiam adoentados ouestressados saíram, mas não poderão retornar ao complexo. FreiMarcos decidiu ficar, não sabe até quando. Os religiosos têm acesso à basílica e atuam como uma espéciede garantia de vida para o grupo de aproximadamente 240integrantes das forças de segurança palestina que, armados, serefugiaram no complexo. Segundo os religiosos que estão nos edifícios que fazem partedo monumento cristão, há comida suficiente para dez dias. Asituação de incerteza é agravada pelo rigor do confinamentoimposto pelos soldados israelenses: as pessoas que estão nointerior do complexo têm pouca ou nenhuma informações sobre oque ocorre do lado de fora. Nenhum dos sacerdotes que estão nas instalações ofereceuqualquer indício de que são reféns dos palestinos no complexo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.