França acusa suposto líder do ETA de terrorismo

A França acusou hoje, por terrorismo, o suposto líder do grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade), segundo um funcionário judicial. Um juiz acusou Mikel Garikoitz Aspiazu, chamado de "Txeroki", por "associação com uma atividade terrorista". As autoridades espanholas afirmam que Aspiazu, de 35 anos, era o líder do aparato militar do ETA e suspeitam que matou dois guardas civis desarmados em Cap Breton, em dezembro de 2007. Os guardas colaboravam com autoridades na repressão ao grupo.O ministro do Interior da Espanha, Alfredo Pérez Rubalcaba, chegou a afirmar que "Txeroki" é o líder máximo do ETA. Aspiazu foi detido no dia 17, junto com Leire López Zurutuza, no sudoeste da França. Os dois foram levados a Paris. O ETA é considerado uma organização terrorista pela União Européia e pelos Estados Unidos. Começou a luta armada em 1968, exigindo um país basco independente no norte da Espanha e sudoeste da França. Desde então matou mais de 800 pessoas, na maioria em território espanhol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.