França alerta EUA para requisitos de "verdadeira potência"

A França faz um alerta aos Estados Unidos: a força não é suficiente para que um país seja uma potência. Em seu discurso na Comissão de Direitos Humanos da ONU, o ministro das Relações Exteriores francês, Dominique de Villepin, afirmou que, no mundo atual, "uma verdadeira potência precisa ter a capacidade de convencer e de mobilizar a comunidade internacional".Durante sua intervenção em Genebra, o francês criticou o argumento da Casa Branca de que estaria invadindo o Iraque para libertar a população da ditadura de Saddam Hussein. Villepin lembrou que, de fato, intervenções estrangeiras são necessárias em alguns momentos, como na Bósnia e no Kosovo, nos anos 90. "Nesses casos, a intervenção foi necessária", afirmou."Mas, se a força for usada de forma unilateral, estará arruinando a confiança entre os Estados", completou o ministro, que deixou a plenária da ONU sob aplausos.Para muitos diplomatas que estavam presentes à reunião, a declaração deixou claro que a guerra pode ter gerado uma fratura mais profunda do que se imaginava nas relações entre Washington e Paris.Para o ministro, uma ação unilateral, como a que foi tomada pelos Estados Unidos, pode gerar "uma engrenagem de violência e de guerra" entre os países. Além disso, Villepin acredita que os direitos humanos estariam ameaçados diante do uso unilateral da força.Na avaliação do francês, a crise no Iraque coloca ao mundo três problemas: o da legitimidade do uso da força, o do direito dos povos e o dos direitos humanos: "Nós estamos em uma encruzilhada. Se quisermos que os direitos predominem, devemos fortalecer nossas instituições multilaterais".Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.