AFP PHOTO / DOMINIQUE FAGET
AFP PHOTO / DOMINIQUE FAGET

França amplia detenção de homem que emprestou casa para refugiar jihadistas

Jawad Bendaoud ficará detido provisoriamente por mais 24 horas, segundo a imprensa francesa; ele afirma que não conhecia as pessoas que se alojaram em sua casa

O Estado de S. Paulo

23 de novembro de 2015 | 11h16

PARIS - A detenção provisória de Jawad Bendaoud, o homem que emprestou seu apartamento para os jihadistas se refugiarem na quarta-feira em Saint-Denis, na periferia de Paris, voltou a ser ampliada por 24 horas, informou nesta segunda-feira, 23, a imprensa francesa

Bendaoud está detido desde quarta-feira e a extensão de sua detenção a partir do quarto dia só pode ser feita por decisão de um juiz em caso de risco de ação terrorista iminente ou por questões de cooperação internacional.

O prazo no qual pode ficar detido antes de sua apresentação ao juiz ou de sua libertação, de seis dias no total em situações como esta, expira na terça-feira.

No dia do assédio das forças da ordem, que durou sete horas e mobilizou uma centena de agentes, Bendaoud afirmou à imprensa que não conhecia quem se alojou em sua casa e disse que somente havia feito um favor a um amigo.

A operação foi dirigida contra o belga Abdelhamid Abaaoud, considerado o cérebro dos atentados de Paris do dia 13 de novembro, nos quais morreram 130 pessoas e houve mais de 300 feridos.

Abaaoud foi morto, assim como uma prima sua, Hasna Aitboulahcen, e um terceiro homem que não era fichado pela Polícia.

Oito pessoas foram detidas, cinco no apartamento e outras três nas imediações, mas o único que ainda é interrogado pelos investigadores é Bendaoud. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
atentadosterror na Françajihadistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.