França apoiaria intervenção no Mali, diz ministro

O ministro da Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, disse neste sábado que seu país apoiaria uma intervenção militar africana no norte do Mali, que foi dominado por islamitas. Ele ressaltou, no entanto, que a França não lideraria uma eventual operação.

AE, Agência Estado

04 de agosto de 2012 | 17h46

"Não é papel da França tomar uma iniciativa militar no Mali", disse o ministro durante visita à Lorient, no nordeste da França.

Segundo Le Drian, Paris espera que forças africanas, em especial da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (Ecowas, na sigla em inglês) e da União Africana, tomem a iniciativa.

Para o ministro, a intervenção no Mali é "desejável e inevitável". "A França vai apoiá-la e espero que a União Europeia também o faça", declarou.

A situação no norte do Mali é "muito preocupante", de acordo com Le Drian. Islamitas de linha dura, incluindo o grupo Ansar Dine (Defensores da Fé) e a Al-Qaeda Magreb Islâmico, ocuparam a região após um golpe de Estado e impuseram à população local uma rígida versão da lei islâmica. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
militarataqueintervençãoIslã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.