França aprova extradição de Noriega

A Justiça francesa aprovou ontem a extradição para o Panamá do ex-ditador Manuel Noriega, de 77 anos, que deve retornar em breve ao país para cumprir três penas de prisão, de 20 anos cada, pelo assassinato de três opositores na década de 80.

PARIS, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2011 | 03h03

"A corte notifica Manuel Antonio Noriega que ele será extraditado para o Panamá", anunciou a sala de instrução que examinou o segundo pedido de extradição do ex-ditador enviado a Paris pelo governo panamenho. Na audiência, Noriega pediu para retornar ao Panamá "sem rancor". "Meu propósito é retornar ao Panamá e demonstrar minha inocência, pois ocorreram julgamentos na minha ausência, sem assistência jurídica", disse.

Um juiz francês concedeu, em setembro, liberdade condicional a Noriega por ter cumprido mais da metade da condenação francesa, levando em consideração o ano e meio que ficou detido no país e os dois anos e meio que ficou detido nos EUA à espera da extradição para Paris. O ex-ditador, no entanto, permaneceu na prisão à espera da extradição.

Ditador do Panamá nos anos 80, Noriega foi derrubado após a invasão do país pelos EUA - em 1989 - e acusado de narcotráfico. Ele foi extraditado dos EUA para a França em abril de 2010, após passar 21 anos preso em Miami. Na França, foi sentenciado a 7 anos de prisão pela lavagem de US$ 3 milhões em bancos franceses. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.