França condena Carlos o Chacal à prisão perpétua

Um tribunal parisiense condenou nesta quinta-feira o terrorista nascido na Venezuela, Ilich Ramírez Sánchez, mais conhecido pelo apelido "Carlos o Chacal", à prisão perpétua - por ter organizado quatro atentados mortíferos na França na década de 1980. Chacal, de 62 anos, já cumpre pena de prisão perpétua na França por ter matado dois agentes secretos franceses em 1975.

AE, Agência Estado

15 de dezembro de 2011 | 21h46

Chacal voltou novamente aos tribunais no mês passado, para ser julgado por ter instigado quatro atentados na França em 1982 e 1983, os quais mataram 11 pessoas e deixaram 140 feridos. O tribunal afirma que Chacal é responsável pelos quatro ataques e o sentenciou à prisão perpétua. Ele poderá recorrer da sentença em 18 anos. O advogado de Chacal afirmou que ele é vítima de uma conspiração política. Segundo ele, a promotoria francesa usou arquivos de países que pertenceram ao bloco comunista para ajudar nas acusações. Em seu apelo final, Chacal leu um texto em homenagem ao ex-governante líbio Muamar Kadafi, morto em outubro. "Esse homem (Kadafi) fez mais do que todos os revolucionários. Vida longa à revolução!", disse Chacal.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.