França condena declarações de Ahmadinejad contra Israel

O ministro de Relações Exteriores da França,Philippe Douste-Blazy, condenou categoricamente a afirmação do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, que disse que "a principalsolução" para a crise no Oriente Médio "é a eliminação do regime sionista". "Condeno totalmente as declarações, que são inaceitáveis", disse o chefe da diplomacia francesa à Radio France Internationale. Ahmadinejad voltou a defender a destruição de Israel na reunião da Organização da Conferência Islâmica (OCI), na quinta-feira, na Malásia. A OCI pediu um cessar-fogo imediato no conflito entre Israel e o Hezbollah, a milícia xiita libanesa que tem o apoio do Irã e da Síria. Depois de criticar as declarações, o ministro francês defendeu o diálogo com o governo iraniano na busca de uma solução para o conflito. Para ele, o Irã tem "um papel claramente importante naregião e no conflito atual". Douste-Blazy reafirmou a recusa da França a dialogar com a Síria, argumentando que não se deve misturar a crise com a investigação internacional sobre a possível participação síria no assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafik Hariri e de outras personalidades do Líbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.