França confirma missão ao Brasil para ajudar refém das Farc

O ministro do Interior da França, Nicolas Sarkozy, confirmou nesta terça-feira que seu governo enviou uma missão humanitária ao Brasil, depois que um suposto emissário dos rebeldes colombianos ter afirmado que a refém Ingrid Betancourt seria libertada na Amazônia brasileira. Betancourt, uma ex-candidata à presidência da Colômbia que tem cidadania francesa, não foi solta. Ela foi capturada pela guerrilha colombiana de esquerda há quase 18 meses. Sarkozy disse que a família de Betancourt pediu ajuda ao governo francês. Astrid Betancourt, irmã da vítima, disse que o governo da França mandou um avião de suprimentos médicos ao Brasil, para o caso de Ingrid ser libertada em más condições de saúde. Sarkozy disse que nenhuma autoridade francesa se reuniu com rebeldes das Farc, o grupo que mantém a ex-candidata presa. A revista Carta Capital informa, em sua edição de 23 de julho, que autoridades francesas teriam vindo ao Brasil para negociar a libertação da refém. O embaixador da França na Colômbia, Daniel Parfait, negou encontros entre representantes de seu governo com os rebeldes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.