França defende contenção de avanço de soldados sírios

O avanço das forças leais ao regime sírio precisa ser interrompido antes de chegar a cidade de Alepo, no norte do país, para que uma conferência de paz possa ocorrer em julho, afirmou o ministro de Relações Exteriores da França, Laurent Fabius, nesta quarta-feira.

AE, Agência Estado

12 Junho 2013 | 07h09

"Precisamos ser capazes de interromper a progressão em direção a Alepo, porque este é o próximo alvo do Hezbollah e dos iranianos. Nós precisamos interrompê-los, porque se não há um reequilíbrio no local, não haverá conferência de paz em Genebra, a oposição não virá", disse Fabius na TV francesa.

Depois de capturar o reduto rebelde de Qusayr na semana passada com a ajuda de iranianos apoiados pela milícia libanesa Hezbollah, as forças do presidente Bashar Assad e os combatentes do Hezbollah expandiram a batalha para Alepo, onde os rebeldes têm mantido uma posição há mais de um ano.

Fabius acrescentou que a França continua a pedir a Turquia que busque uma solução para os atuais movimentações na Síria com "moderação e apaziguamento" e através do diálogo. A Turquia foi tomada por protestos durante as últimas duas semanas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
síriafrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.