Reuters
Reuters

França detém quatro suspeitos de ligação com ataques de janeiro

Entre os detidos, há uma policial; todos são pessoas próximas ao terrorista Amedy Coulibaly

O Estado de S. Paulo

09 Março 2015 | 12h22

PARIS - Quatro pessoas próximas ao terrorista Amedy Coulibaly foram detidas, acusadas e interrogados por suposto envolvimento com os atentados cometidos no início de janeiro em Paris, informaram nesta segunda-feira, 9, fontes judiciais.

Entre os detidos há um casal formado por uma policial que se converteu ao islamismo e trabalha em um centro do serviço de inteligência da polícia e um homem que já estava preso por tráfico de entorpecentes, disseram as fontes para a rádio France Info e a televisão BFM TV.

O homem preso, identificado como Amar R., é suspeito pois segundo escutas de seu telefone celular ele estava, em 9 de janeiro, nas proximidades do mercado judeu no leste de Paris no momento em que Coulibaly tomou reféns no local e assassinou quatro deles, antes de ser morto pela polícia.

O suspeito, contra quem havia um mandato de prisão expedido pela Espanha, foi detido na França em 23 de janeiro por tráfico de drogas.

Sua companheira - identificada como Emmanuelle - trabalhava em um centro de inteligência do serviço secreto de Rosny sous Bois, nos arredores de Paris. Ela havia sido suspensa após visitar Amar R. na prisão e cartas serem encontradas escondidas com ela. Além disso, Emmanuelle consultou a ficha policial do suspeito após os ataques terroristas.

Não foram revelados detalhes sobre os outros dois detidos.

No final de janeiro, quatro homens - três deles condenados no passado por crimes comuns - foram acusados de ter fornecido apoio a Coulibaly. Os suspeitos não foram considerados cúmplices pois a justiça considerou que não havia elementos suficientes para vinculá-los ao caso. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.