França deverá ficar no Mali pelo menos até julho

Três funcionários do governo francês, que pediram para não serem identificados, disseram hoje que as forças do país europeu permanecerão no Mali pelo menos até julho, em meio à resistência dos extremistas islâmicos mais forte do que o esperado, apesar das promessas oficiais de começar uma rápida retirada do país africano dentro de algumas semanas.

Agência Estado

28 de fevereiro de 2013 | 21h05

O governo francês disse que poderia começar a retirar sua tropa de 4 mil pessoas no próximo mês. Mas a luta no terreno acidentado está crescendo, assim como pioram as ameaças de atentados suicidas e as tomadas de reféns.

Um diplomata francês reconheceu nesta semana que a presença militar deverá manter-se durante pelo menos seis meses. Dois outros funcionários disseram que as tropas devem ficar até julho, quando a França espera que o Mali possa realizar eleições. As informações da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaMalitropas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.