França discute indenização por terrorismo com a Líbia

A chancelaria francesa informou nesta quinta-feira que obteve ?progressos importantes? em suas conversações com a Líbia para garantir uma indenização maior para as famílias das vítimas da explosão de um avião francês, em 1989. Com o anúncio do acordo histórico para indenizar, em US$ 2,7 bilhões, os parentes das 270 vítimas do avião da PanAm explodido por terroristas líbios em 1988, sobre Lockerbie, Escócia, a França disse esperar um resultado semelhante.O governo de Muamar Kadafi havia concordado, em 1999, a indenizar as vítimas do vôo francês, mas com uma quantia muito menor - US$ 33 milhões, para 170 vítimas. A França quer corrigir o desequilíbrio. Diplomatas da ONU sugerem que a questão poderá representar um obstáculo para o fim das sanções internacionais contra a Líbia.A chancelaria francesa emitiu declaração dizendo que espera um acordo ?o quanto antes?. ?Está claro que, para a França, tal solução é condição indispensável para a suspensão definitiva das sanções contra a Líbia?, prossegue o texto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.