França diz que uso de força pode ser necessário na Síria

O ministro de Relações Exteriores da França, Laurent Fabius, disse nesta quinta-feira que talvez seja preciso que a comunidade internacional faça uso da força na Síria, se for confirmado o uso de armas químicas no país.

AE, Agência Estado

22 de agosto de 2013 | 08h05

Ele afirmou que a atitude do regime sírio em relação a uma missão da Organização das Nações Unidas (ONU) no país pode ser uma confissão de culpa.

"Se o regime não tem nada a temer, ele deve deixar que os investigadores investiguem", disse Fabius em uma entrevista à emissora de televisão francesa BFMTV.

Caso o uso de armas químicas seja confirmado, o Conselho de Segurança das Nações Unidas deve agir de forma decisiva, afirmou o ministro. Se é impossível chegar a uma decisão no Conselho de Segurança por causa de um veto russo, uma decisão deve ser alcançado de "outra maneira", declarou Fabius, sem entrar em detalhes. Contudo, ele descartou o envio de tropas terrestres.

Na quarta-feira, os EUA declararam que havia "fortes indícios" de que o governo da Síria usou armas químicas em ataques naquele dia. De acordo com grupos de oposição, a ofensiva do regime matou mais de 1.100 pessoas.

As autoridades sírias negaram o uso de armas químicas nos ataques na quarta-feira, acusando a oposição de criar acusações ou encenar ataques com gás tóxico.

Os líderes ocidentais, incluindo o presidente dos EUA, Barack Obama, já disseram que o uso de armas químicas na Síria seria passar do "limite". Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
síriaarmas químicasfrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.