França é contra as seis exigências de Blair a Saddam

A França declarou-se, nesta quinta-feira, contra a nova proposta apresentada ontem pela Grã-Bretanha no Conselho de Segurança das Nações Unidas, que prorroga por dez dias o ultimato dado pelos Estados Unidos, Grã-Bretanha e Espanha para que o Iraque se desarme até o dia 17 de março.O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, defendeu a imposição de seis condições ao Iraque como última alternativa para evitar a Guerra. Uma das condições seria um pronunciamento do líder iraquiano Saddam Hussein admitindo pela TV possuir armas de destruição em massa. ?Não se trata de dar mais dias para Bagdá antes de recorrer à força, é necessário negociar o desarme pacífico e efetivo do Iraque como foi traçado pelas inspeções, que conduzem a resultados concretos como mostraram os relatórios redigidos pelos inspetores da ONU?, declarou o ministro das Relações Exteriores da França, Dominique de Villepin.A França apóia os esforços dos países representados no Conselho de Segurança que querem conseguir um desarme pacífico de Bagdá em um prazo realista, ?conforme a resolução 1.441 da ONU?, afirmou o ministério francês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.