França e Portugal fecham espaço aéreo para Morales

O avião do presidente da Bolívia, Evo Morales, precisou ser desviado para a Áustria depois de França e Portugal terem fechado seus respectivos espaços aéreos por suspeitarem que o ex-agente norte-americano Edward Snowden estivesse a bordo da aeronave.

AE, Agência Estado

02 de julho de 2013 | 20h17

"Não sabemos que inventou essa mentira. Queremos denunciar perante a comunidade internacional essa injustiça com o avião do presidente Evo Morales por causa de uma informação mal-intencionada", declarou em Viena o ministro boliviano das Relações Exteriores, David Choquehuanca.

De acordo com o chanceler, os governos de França e Portugal negaram autorização para que o avião presidencial de Morales atravessasse seus espaços aéreos por temerem que Snowden, responsável pelo vazamento de informações sobre dois programas ultrassecretos de vigilância eletrônica promovidos pelos Estados Unidos, estivesse a bordo.

Morales viajou para a Rússia no fim de semana. Ele chegou a declarar que seu governo analisaria um eventual pedido de asilo de Snowden, mas esclareceu que nenhum pedido fora feito a La Paz até aquele momento. Depois de ter fugido de Hong Kong em 23 de junho, Snowden estaria na área de trânsito do aeroporto internacional de Moscou.

Na Áustria, Choquehuanca informou que o governo da Espanha autorizou uma parada para reabastecimento em seu território antes de o avião seguir para Viena. Segundo o chanceler, França e Portugal terão que explicar à Bolívia por que não permitiram a travessia de seus respectivos espaços aéreos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaMoralesSnowdenFrançaPortugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.