França enviará ao Líbano especialistas na abertura de estradas

A França enviará ao sul do Líbano um batalhão de engenheiros especialistas na abertura de estradas, além de oficiais para apoiar o comando da força da ONU na região (Finul), dentro do dispositivo de urgência de 200 soldados, informou aministra da Defesa, Michelle Alliot-Marie. "Somos os únicos a contribuir urgentemente com meios suplementares, porque tínhamos a capacidade de resposta para isso", afirmou a ministra à emissora de rádio RTL. O Estado-Maior francês anunciou que os 200 soldadosiniciaram viagem rumo ao porto de Toulon, onde embarcarão neste fim de semana com destino ao Líbano. O contingente se unirá aos 200 franceses que já estão na Finul. Alliot-Marie não revelou qual será a contribuição total da França ao reforço da Finul, ordenado pelo Conselho de Segurança daONU. Mas garantiu que o país está disposto a manter os 1.700 militares do contingente marítimo e aéreo enviado ao Líbano no início do conflito para facilitar a saída dos franceses que viviamno país. O objetivo das tropas será "garantir a vigilância marítima e ajudar no apoio humanitário", sem se integrar à Finul, explicou. "Ninguém poderá acusar a França de não cumprir seu dever nacrise libanesa. Desde o início estamos na linha de frente", afirmou. A ministra destacou a importância em definir a missão e os meios da Finul. "Guardo na memória experiências dolorosas de outras operações nas quais as forças da ONU não tinham uma missãosuficientemente precisa nem os meios para atuar", afirmou, citando o caso da Bósnia, onde a França perdeu 71 soldados. A França está disposta a manter o comando da Finul, atualmente controlada pelo general francês Alain Pellegrini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.