França enviará mais 700 soldados à Costa do Marfim

A França vai enviar cerca de 700 soldados à Costa do Marfim para se juntarem aos 4 mil militares do país que já estão na região atuando pela força de paz da ONU. A medida, que vai reforçar a segurança dos 15 mil franceses que vivem por lá, é decorrência dos incidentes que envolvem os dois países desde sábado.Laurent Gbagbo, presidente marfinense, ordenou um ataque na cidade de Bouake que resultou na morte de nove franceses e um americano. Como resposta, imediatamente o país europeu realizou uma ofensiva com caças Mirage por meio da qual destruiu dois aviões Sukhoi 25 e cinco helicópteros militares marfinenses envolvidos no ataque.A mensagem de "boas-vindas" dos marfinenses aos novos soldados franceses foi clara: "a Costa do Marfim será o Vietnã da França", afirmou Mamadou Coulibaly, presidente da Assembléia Nacional do país. Ele disse esperar "uma guerra longa e difícil" e acusou a França de se comportar "como força de ocupação".Dirigentes marfinenses dizem que a ofensiva contra suas aeronaves causou a morte de 30 pessoas e ferimentos em cerca de 100. Os franceses, que não reconhecem esse número, contaram com o aval do Conselho Segurança das Nações Unidas e de aliados para a ação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.