França exige libertação de repórter raptado pelas Farc

As autoridades francesas exigem que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertem o jornalista francês que raptaram no sábado, um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores disse nesta segunda-feira.

AE, Agência Estado

30 de abril de 2012 | 11h53

Romeo Langlois foi sequestrado durante um combate entre membros da FARC e o batalhão antidrogas do exército que o repórter acompanhava. O incidente ocorreu semanas depois de os rebeldes colombianos libertarem dez reféns militares e dizerem que estavam prontos para iniciar negociações.

"Nós responsabilizamos as Farc pela situação do Sr. Langlois", o porta-voz Bernard Valero disse em comunicado. "Eles se comprometeram publicamente a não mais fazer reféns. Insistimos que eles cumpram o compromisso e pedimos que eles o libertem imediatamente."

Langlois, um cidadão francês que trabalha para a emissora de TV France 24, com sede em Paris, foi raptado na pouca povoada província de Caqueta, no sul da Colômbia. No fim de semana, o exército colombiano enviou soldados à região para destruir laboratórios usados pelas Farc para a produção de cocaína.

Quatro soldados colombianos foram mortos no conflito, enquanto outros cinco desapareceram junto com Langlois. Militares colombianos afirmam que Langlois foi baleado no braço e pediu ajuda aos rebeldes.

As Farc mantiveram em seu poder a política franco-colombiana Ingrid Betancourt por mais de seis anos em Caqueta, até sua libertação numa operação do exército, em 2008. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANÇACOLÔMBIASEQUESTRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.