AP Photo/Philippe Farjon
AP Photo/Philippe Farjon

França exige que Reino Unido acolha as crianças imigrantes do acampamento de Calais

Campo de refugiados abriga cerca de 10 mil pessoas; Cruz Vermelha acusa britânicos de deixar centenas de menores no local precário

O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2016 | 12h02

PARIS - Paris exigiu nesta segunda-feira, 10, que o Reino Unido honre suas promessas de acolher as crianças imigrantes do campo conhecido como “Selva” na cidade portuária francesa de Calais. O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, disse que vai insistir no assunto em uma reunião de almoço na capital inglesa com seu homólogo britânico, Amber Rudd.

"Há várias centenas de menores isolados com famílias no Reino Unido", afirmou Cazeneuve. "Peço solenemente ao Reino Unido que faça jus à sua obrigação moral", disse Rudd à rádio RTL antes do encontro em Londres.

Reconhecidamente superlotado, o acampamento abriga quase 10 mil pessoas, a maioria em fuga de regiões em guerra e dos conflitos em países como Síria e Afeganistão, que almejam chegar ao Reino Unido.

No domingo, a Cruz Vermelha acusou os britânicos de deixar centenas de crianças pequenas - que têm o direito de se reunir com parentes no país - em um limbo em Calais, cujo campo precário deve ser desmontado em breve.

"Das estimadas mil crianças desacompanhadas que moram atualmente na Selva de Calais, 178 foram identificadas como pessoas que têm laços familiares no Reino Unido. Isso lhes dá o direito de pedir asilo no mesmo país", disse a Cruz Vermelha.

"Neste momento, o sistema para transferir crianças que têm direito de estar no Reino Unido tem numerosos problemas”, afirmou em um comunicado Alex Fraser, diretor de apoio a refugiados da Cruz Vermelha.

"As crianças, que poderiam estar refazendo suas vidas em segurança com seus únicos parentes ainda vivos, em vez disso estão sendo deixadas em condições inimagináveis para a maioria dos adultos." / REUTERS

Veja abaixo: França inicia demolição de abrigo de migrantes em Calais

Mais conteúdo sobre:
FrançaCalaisRefugiadoCriança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.