Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

França exigirá teste negativo de covid para todos os viajantes de fora da UE

Teste deverá ser apresentado antes do embarque; uma vez no país, os viajantes terão de se isolar por sete dias e em seguida apresentar outro teste de covid-19

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2021 | 17h05

PARIS - A França exigirá um teste negativo de covid-19 para todos os viajantes de fora da União Europeia a partir da próxima segunda-feira, 18, para evitar que levem novas variantes do coronavírus, anunciou o primeiro-ministro Jean Castex nesta quinta-feira, 14. O teste deverá ser apresentado antes do embarque. Os viajantes que chegarem na França também terão de se isolar por sete dias e, depois desse prazo, deverão fazer outro teste de covid-19, acrescentou Castex, em entrevista coletiva.

Segundo o premiê, essas medidas buscam principalmente conter o avanço da variante britânica, que se mostra presente em aproximadamente 200 casos todos os dias na França, e da variante sul-africana, com uma incidência mais baixa. O governo também vai reduzir o fluxo em suas fronteiras a fim de evitar uma maior expansão dessas variantes.

Embora o nível da epidemia não seja agora tão preocupante na França, Castex ressaltou a grave situação nos países vizinhos, como Reino Unido, Alemanha e Itália, para justificar as novas medidas. "Os primeiros dados que possuímos mostram que pudemos passar as festas de fim de ano sem uma disparada da epimemia", disse Castex, que considerou a situação "controlada", embora ainda "frágil".

Para tentar conter um surto de casos, a França também vai impor um toque de recolher nacional a partir das 18 horas de sábado por durante ao menos 15 dias. A maior parte dos franceses já estava sujeita a um toque de recolher entre 20h e 6h, imposto em meados de dezembro, quando o segundo confinamento nacional foi levantado.

Em 25 departamentos, principalmente do leste e sudeste, particularmente afetados pela pandemia, seus habitantes já cumpriam um toque de recolher a partir das 18h. 

A França registrou na quarta-feira cerca de 23 mil novos casos de covid-19, um número muito acima dos 5 mil casos estabelecido pelo governo para levantar as restrições.

A campanha de vacinação, que foi duramente criticada pela lentidão, entrou em uma nova fase com a abertura das inscrições para as pessoas com mais de 75 anos. Até agora, apenas as pessoas da terceira idade residentes em asilos e profissionais de saúde de mais de 50 anos receberam a vacina. 

O premiê explicou que um terceiro confinamento não está entre as opções do governo francês neste momento, mas não excluiu sua aplicação se houver uma "forte deterioração" da situação sanitária. Até agora, a França já registrou 2,83 milhões de casos e 69.031 mortes por covid-19./AFP e EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.