França fecha sua última mina de carvão

A frança fecha hoje sua última mina de carvão, encerrando uma atividade econômica que prosperou por quase 300 anos e ajudou a transformar o país numa potência industrial. Desde que o carvão foi descoberto na França pela primeira vez, em 1720, o mineral vinha sendo a força motriz da transformação da Europa numa terra de fábricas e chaminés. Além disso, os mineradores estiveram entre os primeiros trabalhadores a reivindicar direitos.Agora, mais de 80% da energia gerada na França vem de usinas nucleares e a última mina está sendo fechada. Um último lote simbólico seria extraído da mina La Houve, numa cerimônia marcada para o anoitecer e que dará início a três dias de celebração de um ramo da economia que já chegou a empregar 300.000 pessoas. Hoje, são 500.Foi a descoberta de carvão na França que preparou o terreno para a Revolução Industrial que viria a transformar a civilização ocidental. Duzentos anos depois, os trabalhadores das minas viriam a se unir e a dar início ao movimento pelos direitos do trabalho. Em 1894, um fundo criado pelos trabalhadores tornou ilegal o trabalho de crianças com menos de 12 anos. Em 1910, os mineradores conseguiram o direito à jornada de trabalho de 8 horas diárias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.