França identifica suspeitos de atentado contra restaurante judaico em 1982

Seis pessoas morreram em ataque contra deli de Paris; Procuradoria francesa acusa três palestinos

O Estado de S.Paulo

04 Março 2015 | 16h41

 PARIS - Mais de 32 anos após um atentado que matou seis pessoas no Marais, bairro que concentra a comunidade judaica em Paris, as autoridades francesas identificaram nesta quarta-feira, 4, três suspeitos de participação no ataque – e estão tentando prendê-los. 

Terroristas palestinos arremessaram granadas e dispararam metralhadoras contra a deli Jo Goldenberg em 9 de agosto de 1982. Pelo menos 21 pessoas ficaram feridas. O restaurante, fechado desde então, era uma atração turística do tradicional bairro judaico.

A porta-voz da Procuradoria francesa, Agnes Thibault-Lecuivre afirmou que pedidos de prisão internacionais foram emitidos contra os suspeitos, agora com idades entre 50 e 60 anos, que teriam sido membros do grupo Abu Nidal.

As autoridades francesas acreditam que os suspeitos estejam nos territórios palestinos, na Jordânia e na Noruega, mas se recusaram a informar seus nomes.

O anúncio da Procuradoria ocorre em um momento em que a França combate um crescente antissemitismo no país, notado principalmente entre jovens muçulmanos radicais. Um extremista islâmico francês matou quatro pessoas em um supermercado kosher de Paris em janeiro e, em 2012, outro fundamentalista muçulmano francês matou quatro pessoas em uma escola de Toulouse.

Na opinião de Alain Jakubowicz, diretor da Liga Internacional contra o Racismo e o Antissemitismo, a identificação dos suspeitos do atentado de 1982 “é uma mensagem muito forte para terroristas e assassinos”. “Onde quer que vocês estejam, vamos encontrá-los, vamos prendê-los e vamos julgá-los”, disse Jakubowicz à emissora de TV BFM. / AP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.