França impede atentado do grupo ETA

As autoridades francesas descobriram um plano do grupo armado basco ETA para assassinar uma juíza antiterrorista francesa, informaram funcionários judiciais nesta quarta-feira. Em um episódio paralelo, guardas de uma prisão de alta segurança em Paris impediram uma tentativa de fuga de seis militantes do ETA, que planejavam usar explosivos para derrubar as paredes da penitenciária, disseram fontes que pediram para não ser identificadas. Tais informações surgem em meio à intensificação da luta da França contra o ETA, que já causou cerca de mil mortes em sua tentativa de criar uma pátria basca totalmente independente, no sul da França e norte da Espanha. Embora o ETA (sigla de Pátria Basca e Liberdade, em basco) tenha realizado a maior parte de seus ataques na Espanha, o grupo tem várias bases na França. As ações francesas culminaram com a detenção, no mês passado, de um homem considerado um dos principais chefes militares do ETA, Ibón Fernández de Iradi, junto com outros oito suspeitos. Alguns dias após sua detenção, Fernández de Iradi desapareceu misteriosamente do presídio da cidade de Bayonne, no sudoeste da França. Ainda se encontra foragido. Foi durante as investigações sobre sua fuga que as autoridades se inteiraram dos planos para matar a juíza investigadora Laurence Le Vert. Documentos encontrados por agentes antiterroristas em um suposto esconderijo do ETA em Pau, nas proximidades, mostraram que os militantes iriam usar um caminhão para bloquear a passagem do carro de Le Vert, enquanto seus cúmplices, em motocicleta, viriam matá-la a tiros. Os agentes encontraram mapas e detalhes sobre os movimentos diários de Le Vert, assim como uma descrição de seu automóvel e os nomes de seus guarda-costas, disse a rede de televisão LCI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.