Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

França interpela EUA sobre bombardeio ao Iraque

O governo francês pediu hoje explicações a Washington sobre os ataques aéreos anglo-americanos realizados contra o Iraque, indicando que não sido havia sido informado com antecedência sobre a operação militar. "Isso (os ataques) levanta uma questão-chave. Esperamos uma explicação do governo americano", disse, em um comunicado, o porta-voz da chancelaria francesa, François Rivasseau.Uma fonte da diplomacia francesa disse que Paris não foi informada nem consultada sobre a ação militar. A França, que lutou com seus aliados ocidentais na Guerra do Golfo, em 1991, e integrava a força conjunta de controle da zona de exclusão iraquiana, distanciou-se da política de seus parceiros para o Iraque por não entender a necessidade do prosseguimentos dos ataques contra esse país.De acordo com um funcionário americano, 24 aviões americanos e britânicos atingiram cinco alvos militares iraquianos perto de Bagdá ontem usando várias armas de precisão de longo alcance. O Iraque informou que 2 civis foram mortos e 20 ficaram feridos e ameaçou retaliar os ataques anglo-americanos.China, Rússia e Síria lideraram hoje as críticas internacionais contra a ação militar, alegando que ela não trará resultados positivos e poderá ameaçar a estabilidade no Oriente Médio. O diretor do departamento sobre o Oriente Médio da chancelaria russa, Alexander Sultanov, disse à imprensa, após conversar com o chanceler sírio, Farouq al-Shara, que deveria ser alcançada uma solução política para a crise no Iraque. As relações entre a Síria e o Iraque estreitaram-se durante os últimos anos depois de quase duas décadas de animosidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.